Por sua vez, Geninho Zuliani (SP), deputado eleito por São Paulo, fez questão de registrar o seu voto a favor da vaquejada e dos rodeios. Ele comentou sobre a experiência dele com tais atividades, destacando também o trato adequado com os animais: “sou testemunha, como criador de cavalos e participante de rodeios, da qualidade no trato com os animais”.

O deputado Juscelino Filho (MA) disse que falta segurança jurídica para vaquejadas e rodeios, e que um projeto de lei pode resolver esse problema. Ele lembrou que o Congresso Nacional aprovou a PEC da Vaquejada, mas revelou que magistrados têm cancelado a realização destes eventos em função da falta de regulamentação da lei do bem-estar animal.

Além dos deputados do Nordeste e do Sudeste, um representante do Norte se manifestou: o deputado Hélio Leite (PA). Ele reforçou os pontos tratados pelos demais parlamentares, como a geração de empregos, o respeito às tradições culturais e o trato responsável com os animais.

De acordo com o texto aprovado no Senado, ficam reconhecidos o rodeio, a vaquejada e o laço como expressões esportivo-culturais pertencentes ao patrimônio cultural brasileiro de natureza imaterial, se

CONTINUE LENDO