BUSCA PELA CATEGORIA "POLÍTICA"

  • Waldenor é eleito coordenador geral do Núcleo de Educação, Cultura e Desporto do PT,no Congresso Nacional

    O deputado federal baiano Waldenor Pereira é o novo coordenador geral do Núcleo de  Educação,  Cultura e Desportos do PT na Câmara e no Senado, eleito hoje, 26, por unanimidade. Ele assume o cargo com a responsabilidade de enfrentar um grande desafio: " A onda reacionária e conservadora empreendida pelo governo Bolsonaro ameaça de morte a educação brasileira. A conjuntura política desafiadora nos impõe competência e capacidade de organização. Daí a importância de reestruturação do Núcleo enquanto um espaço de elaboração para subsidiar os nossos parlamentares no exercício dos seus mandatos”, afirmou Waldenor.

    Também foram escolhidos os sub- coordenadores, de Educação, deputada Rosa Neide (MT); Cultura, deputado Pedro Uczai (SC); e Desportos, senador Jean Paul Prates (RN).  O secretário executivo será o assessor parlamentar Lúcio Rodrigues. Além de parlamentares e assessores  da Câmara e do Senado, o núcleo também tem entre seus membros dirigentes petistas  de entidades ligadas à educação, como a UNE, Fasubra, Andifes, Cnte, Proifes, Contee  entre outros. 

    A eleição de Waldenor Pereira para a coordenação geral ocorreu após avaliação de perfil dos parlamentares, sendo ele historicamente ligado ao setor (professor e ex-reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB) e atuante membro da Comissão de Educação da Câmara. Os parlamentares Pedro Uczai (SC), Margarida Salomão(MG), Rosa Neide (MT), José Ricardo (AM), Paulão (AL), Afonso Florense (BA), Natália Bonavides(RN),Rogério Correia (MG), Frei Anastácio (PR) e Reginaldo Lopes (MG),referendaram o nome de Waldenor para o cargo de Coordenador do Núcleo.

    O Núcleo  de Educação, Cultura e Desportos promove discussões temáticas, debate propostas e projetos em tramitação das duas Casas Legislativas, analisa a pauta e define prioridades e indicação de votos das bancadas. É principalmente um espaço de articulação entre as bancadas petistas com os movimentos sociais e  os governos federal e estaduais.

  • Bancada evangélica da Câmara oficializa apoio a Bolsonaro

    A FPE (Frente Parlamentar Evangélica) da Câmara dos Deputados oficializou, nesta quinta-feira (4), o apoio a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República nas eleições 2018.

    Na carta, que será entregue ao candidato, o presidente da frente, deputado Hidekazu Takayama (PSC-PR), diz que o grupo entende que Bolsonaro é o nome mais adequado para lutar pelas pautas defendidas por seus integrantes. 
    "Mais que uma questão natural, é uma questão espiritual. Está acima de qualquer doutrina partidária. É a defesa dos valores da família cristã ", diz trecho da carta.

    A Frente reúne 199 deputados e quatro senadores. O texto em que a FPE oficializa o apoio a Bolsonaro nas eleições 2018 também ressalta que a defesa dos valores dos cidadãos, da vida e da família estão acima de tudo e que "proteger nossas crianças de um futuro desastroso é nosso dever como legisladores e homens de bem".
    "Portanto, certos de nosso compromisso com os quase 86,8% de cristãos de todo o território nacional, declaramos nosso amplo apoio aos candidatos da Frente em todo o Brasil, bem como o nosso apoio a Jair Messias Bolsonaro. Nosso intuito é evitar que candidatos filiados a extrema esquerda assumam, mais uma vez, a direção do país causando ainda mais crises do que as que atravessamos nos últimos anos", diz o texto.

    À reportagem, o deputado Takayama disse que "quem está jogando Jair Bolsonaro no meio da família cristã são os radicais". "São exatamente essas pessoas, que fizeram atos como no Rio Grande do Sul, que defecaram e urinaram dentro das igrejas, em cenas que chocam a família cristã e de que maneira nenhuma estão contribuindo para um povo que tem a base cristã, seja católica ou evangélica", disse o parlamentar.

    O deputado afirmou que pretende gravar um vídeo com Bolsonaro para ressaltar o apoio do grupo, assim que tiver um tempo em sua campanha. Ele disse também que consultou praticamente todos os parlamentares da frente antes de oficializar o apoio.

    Takayama citou, como exemplo de apoiadores da frente, Leonardo Quintão (MDB-MG), Ezequiel Teixeira (Podemos-RJ) e o ministro Ronaldo Fonseca, da Secretaria-Geral da Presidência de Michel Temer. "Todos eles estão de pleno acordo", finalizou.

  • PF abre segundo inquérito para apurar atentado contra Bolsonaro

    A Polícia Federal instaurou na manhã desta terça-feira (25) o segundo inquérito que tem como objetivo dar continuidade às investigações e apurar a participação de outras pessoas no ataque contra o candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, no início deste mês, em Juiz de Fora, na Zona da Mata Mineira.

    De acordo com o delegado Regional de Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais Rodrigo Morais, será investigado também o possível envolvimento de uma organização criminosa no atentado. “Vamos apurar se Adélio tem alguma conexão com algum grupo ou organização criminosa”, informou.

    No entanto, o delegado Rodrigo Morais afirmou, em entrevista à TV Globo, que todas as informações e dados colhidos até o momento sustentam que Adélio Bispo de Oliveira não teve ajuda de ninguém na hora da agressão.

    O atentado contra Bolsonaro ocorreu no último dia 6 durante uma caminhada que ele realizava com simpatizantes de sua campanha em uma das ruas do centro de Juiz de Fora. O presidenciável levou uma facada na região abdominal enquanto era carregado nos ombros por um apoiador.

    O agressor, Adélio Bispo de Oliveira, foi preso em flagrante após a ataque. A Polícia Federal abriu o primeiro inquérito no mesmo dia para investigar o caso. Oliveira disse que o atentado contra Bolsonaro foi "a mando de Deus", segundo boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil mineira.

    Segundo o delegado que preside o inquérito, tudo que foi extraído do material apreendido em posse do agressor Adélio Bispo de Oliveira – um notebook, quatro aparelhos celulares e documentos, além de seis computadores de uma lan house –, continua sendo minuciosamente processado e analisado.

    “Elementos importantes foram encontrados no material apreendido, como agenda de contatos, troca de telefonemas e mensagens via aplicativos nos dias que antecederam o atentado, o que motiva a investigação de novos suspeitos. Em um dos celulares que Adélio Bispo utilizava para navegar na internet detectamos que ele buscava na mídia informações relacionadas ao presidenciável Jair Bolsonaro”, afirmou Morais.

    A PF agora pretende investigar pelo menos os últimos dois anos da vida de Adélio Bispo. O objetivo é tentar identificar se houve um mandante ou pessoas que tenham incentivado o autor a atacar o candidato à presidência da República.

    Já o primeiro inquérito relacionado à conduta de Adélio Bispo deve ser concluído até sexta-feira (28). “Se no futuro for identificado a participação de Adélio em alguma organização criminosa, ele também responderá por esse crime”, destacou o delegado Rodrigo Morais.

    O agressor de Bolsonaro foi indiciado no dia 7 pela PF pelo crime de "atentado pessoal por inconformismo político" com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional.

    Recuperação em hospital

    Bolsonaro tem boa aceitação à "dieta leve" que começou neste domingo e mantém "boa evolução clínica", diz o último boletim médico divulgado na tarde de segunda pelo hospital.

    O documento afirma que "o paciente evolui com melhora clínica progressiva" e que ele segue "com recuperação dos movimentos intestinais, recebendo dieta pastosa em associação à nutrição parenteral".

    CONTINUE LENDO
  • Pesquisa Ibope: Bolsonaro, 28%; Haddad, 19%; Ciro, 11%; Alckmin, 7%; Marina, 6%

    O Ibope divulgou nesta terça-feira (18) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo (16) e terça-feira (18).

    O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

    Os resultados foram os seguintes:

     

    Jair Bolsonaro (PSL): 28%

    Fernando Haddad (PT): 19%

    Ciro Gomes (PDT): 11%

    Geraldo Alckmin (PSDB): 7%

    Marina Silva (Rede): 6%

    Alvaro Dias (Podemos): 2%

    João Amoêdo (Novo): 2%

    Henrique Meirelles (MDB): 2%

    Cabo Daciolo (Patriota): 1%

    Vera Lúcia (PSTU): 0%

    Guilherme Boulos (PSOL): 0%

    João Goulart Filho (PPL): 0%

    Eymael (DC): 0%

    Branco/nulos: 14%

    Não sabe/não respondeu: 7%

  • Prefeito de Conceição do Coité, Francisco Assis é condenado e pode perder mandato

    Foto: Reprodução/Bahia Notícias

    Francisco Assis (PT), prefeito de Conceição do Coité, foi condenado à perda do mandato e suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de cinco anos por ato de improbidade administrativa. A decisão foi tomada pelo Tribunal Regional da 1° Região (TRF-1), em Feira de Santana, pela juíza Karin Almeida Weh. 

     

    A acusação apresentada pelo o Ministério Público Federal (MPF) contra Assis aponta que o prefeito realizou dispensas indevidas de licitação de cerca de R$ 1,3 milhão da verba do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), em 2013. 

     

    No entendimento de Weh, descrito na sentença, o prefeito forjou “situação de emergência para dar falso aspecto de legalidade na sua conduta ímproba" nas licitações. Assis, que também foi condenado ao pagamento de multa civil correspondente a R$ 40 mil, ainda pode recorrer a decisão. Na mesma sentença, o TRF-1 absolveu os donos da empresa contratada por Francisco Assis no suposto desvio de verbas. A Justiça entendeu que Renato Ferreira e Idelva das Virgens são inocentes. 

     

    Em julho deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) também condenou o prefeito Francisco Assis (PT)  por compra de votos (lembre aqui). 

     

    Fonte: Bahia Notícias

  • Candidatos e partidos já podem abrir registro no Facebook

    Imagem Ilustrativa

    Partidos e candidatos que pretendem fazer propaganda eleitoral através do Facebook já podem abrir o processo de registro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em uma resolução publicada sobre eleições estabeleceu a obrigatoriedade de cadastro para o concorrente ou legenda que fazer este tipo de publicação paga na rede.

    Um formulário específico será disponibilizado no site da rede social para a inscrição e todos os anúncios serão identificados na plataforma como propaganda eleitoral.

    As publicações realizadas por candidatos deverão mostrar o CPF do mesmo e a legenda à qual é filiado. Outra observação é que os anúncios de partidos deverão conter o CNPJ da agremiação.

  • Primeiro debate dos presidenciáveis acontece nesta quinta-feira (09)

    Foto: Rede Bandeirantes / Debate

    A Rede Bandeirantes de TV como de costume realizará o primeiro debate das eleições deste ano.

    O encontro mediado pelo jornalista Ricardo Boechat acontece na noite desta quinta-feira (09), a partir das 22h e terá três horas de duração. Até o momento oito candidatos a presidência já confirmaram participação, sendo eles:  Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) estarão presentes. 

    Os candidatos estarão amparados por suas coligações e atenderá a todas as exigências eleitorais. O candidato do PT, Lula, não participará do debate pois se encontra preso e por isso sua cadeira ficará vaga durante o programa.

     

  • Juiz do DF absolve Geddel Vieira Lima da acusação de obstrução de Justiça

    O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima (MDB-BA) (Foto: Filipe Matoso/G1)

    O juiz Vallisney de Souza, da Justiça Federal de Brasília, absolveu por falta de provas o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB-BA) da acusação de obstrução de Justiça.
     

    Após a decisão, a defesa de Geddel divulgou uma nota (leia a íntegra ao final desta reportagem) na qual afirmou que a absolvição "estabelece a verdade e faz justiça" ao ex-ministro.

    Atualmente preso em razão de outro processo, Geddel virou réu em agosto de 2017 após ter sido acusado pelo Ministério Público Federal de tentar atrapalhar investigações sobre desvios no fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS).

    Em julho do ano passado, o ex-ministro da Secretaria de Governo chegou a ser preso, por decisão de Vallisney de Souza, em razão das suspeitas de que atrapalhava o andamento das investigações da Operação Cui Bono.

  • Julgamento do recurso de Lula no TRF-4 ocorre nesta quarta-feira em Porto Alegre

    O ex-presidente terá seu futuro político definido na próxima semana, pelos magistrados da 8ª Turma do TRF4 (Leonardo Benassatto/Reuters)

    julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do triplex em Guarujá (SP) será realizado a partir das 8h30 desta quarta-feira (24), no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

    Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pelos processo da Lava Jato na primeira instância. O ex-presidente recorre em liberdade da sentença de 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

    A defesa nega as acusações e pede ao TRF-4 a absolvição do ex-presidente. Já o Ministério Público Federal (MPF) pede o aumento da pena de Lula. O julgamento será transmitido ao vivo pelo G1.

    Lula é acusado de receber propina da empreiteira OAS. De acordo com a sentença de Moro, a empresa reformou o triplex no Condomínio Solaris e deu o imóvel para Lula em troca de favorecimento em contratos com a Petrobras.

    A suposta vantagem, no valor de R$ 2,2 milhões, teria saído de uma cota de propina destinada ao PT em troca de contratos da OAS com a estatal. Um dos depoimentos que baseou a acusação é do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, também condenado no processo.

    O que diz a defesa

    Os advogados de Lula dizem que o ex-presidente é inocente e negam que ele seja dono do triplex.

    Na semana passada, a defesa incluiu na apelação documentos que, segundo os advogados, reforçam a tese de que a OAS é a proprietária do imóvel. Trata-se de uma decisão judicial que determinou a penhora do triplex para a satisfação de dívidas da OAS.

    Os advogados afirmam, ainda, que a condenação de Lula foi "politicamente motivada" e que o julgamento "ataca o Estado democrático de Direito".

    A defesa também questiona a imparcialidade de Moro e afirma que o juiz deveria "se afastar de todas as suas funções".

    CONTINUE LENDO